Pesquisas / Concluídas

Promovendo o desenvolvimento saudável de adolescentes grávidas e seus filhos

Introdução

Coordenação:

Renato Alves
Nancy Cardia

Realizada entre:

2006 - 2007

Financiador:

Fapesp / CPNq

Pesquisadores:

Renato Alves
Maria Fernanda Tourinho Peres

Coordenação:

Aline Morais Mizutani Gomes

O projeto é voltado para adolescentes grávidas, que formam um dos maiores grupos de risco de vitimização violenta, bem como de terem seus direitos violados. No Município de São Paulo, um estudo sobre gravidez na adolescência revelou que este fenômeno é mais freqüente nas áreas da cidade onde as taxas de homicídios de jovens são mais altas.

O objetivo do Projeto é a prevenção da violência, negligência, abuso e maus tratos contra crianças, e suas mães, através do fornecimento de informações úteis sobre os diferentes estágios de desenvolvimento infantil e estratégias para estimulá-lo. Serão fornecidas também informações sobre os direitos da mãe e de seu filho. Esse projeto é guiado por evidências de pesquisas que concluíram que investimentos no desenvolvimento precoce das crianças são os que apresentam maior impacto no ciclo de vida do indivíduo, influenciando beneficamente a educação, renda, acesso a emprego e prevenindo comportamentos de risco na adolescência, como uso de drogas e violência. Encorajando a mãe a buscar assistência médica durante a gravidez, informando-a sobre o desenvolvimento da criança e sobre programas de assistência social disponíveis, sobre direitos e meios de acesso a direitos (saúde, educação, assistência social e trabalho) e reforçando os vínculos entre mãe e filho, este projeto busca promover o desenvolvimento da criança desde a mais tenra idade.

O projeto consiste em visitações domésticas durante a gravidez e depois do nascimento da criança até que esta complete seis meses de idade. A partir de então se somam às visitações domésticas trabalhos em grupo com mães até o 24º mês da criança e um trabalho de treinamento para funcionários de creche para assegurar que as crianças recebam os cuidados adequados. Este programa será implementado com o apoio de um comitê de especialistas brasileiros (psicólogo, psicólogo experimental com especialidade em depressão pós-parto, pediatra, médica sanitarista, enfermeira e representante da Secretaria de Estado de Saúde) e de um comitê internacional de especialistas composto por representantes da Organização Mundial de Saúde, da Organização Pan-americana de Saúde, e do Center for Disease Control, do Erikson Institute, além de um epidemiologista da Universidade de Michigan e um do Instituto de Saúde Pública do México.