Pesquisas / Concluídas

Inventário Nacional sobre Programas de Prevenção da Violência Interpessoal

Introdução

Coordenação:

Nancy Cardia
Maria Fernanda Tourinho Peres

Realizada entre:

2006

Financiador:

Programas das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil (PNUD) / Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) / OPA Topografia e Engenharia / Ministério da Saúde / Coordenação Geral de Lojística / Secretaria Nacional de Segurança Pública, Ministério da Justiça / CLAVES-FIOCRUZ

Pesquisadores:

Aline Galafassi
Caren Ruotti
Cássia Larissa de Lima Medeiros
Diego Vicentin
Guilherme Ponce
Juliana Feliciano de Almeida
Patrícia Carla dos Santos
Tais Viudes de Freitas
Tatiana Patti Bellucci
Vanessa Orban Aragão Santos

O Inventário Nacional de Programas de Prevenção da Violência Interpessoal (INPPVIP) é parte do Armed Violence Prevention Programmes (AVPP), uma iniciativa conjunta do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Organização Mundia de Saude (OMS). No Brasil, o AVPP conta com a parceria institucional dos Ministérios da Saúde e da Justiça, através da Secretaria nacional de segurança pública (SENASP/MJ).

O objetivo do INPPVIP é coletar informações sistemáticas sobre os programas em desenvolvimento no Brasil, as quais permitam caracterizá-los quanto às atividades desenvolvidas, o tipo de violência abordado, o nível da prevenção, além de fornecer informações sobre características da população alvo, do local onde o programa é desenvolvido e das etapas do planejamento e avaliação. Para isto foram utilizados o instrumento padronizado que compõe o Handbook for the documention of interpersonal violence prevention programmes, desenvolvido pela OMS.

Para realização do inventário em escala nacional optou-se por uma estratégia de pesquisa na qual os dados são coletados através de um formulário on-line e são automaticamente inseridos no banco de dados para posterior análise. Esta opção justifica-se pela amplitude do território brasileiro, o que dificultaria a coleta de dados através de entrevistas presenciais, tornando o processo lento e extremamente dispendioso. Da mesma forma, coleta de dados por telefone ou através de questionários enviado pelo correio aumentaria bastante os custos e o tempo necessário para realização do projeto, por tornar necessária a inserção manual dos dados, com posterior checagem e correção. A implementação do projeto foi realizada em cinco fases: construção do sistema on-line; pré-teste do instrumento, através de coleta presencial e on-line; identificação de programas (fase exploratória); coleta de dados; análise de dados.