Pesquisas / Concluídas

Avaliação do Programa de prevenção da violência RAC – Redescobrindo o Adolescente na Comunidade

Introdução

Coordenação:

Maria Fernanda Tourinho Peres

Realizada entre:

2006

Financiador:

OMS / PNUD / Ministério da Saúde / Ministério da Justiça / SENASP

Auxiliares de Pesquisa:

Cássia Larissa
Guilherme Ponce
Juliana Feliciano
Taís Viudes
Tatiana Bellucci
Vanessa Orban

Este projeto insere-se em uma iniciativa mais ampla – Armed Violence Prevention Program – implementada no Brasil em parceria estabelecida entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Organização Panamericana de Saúde (OPAS), e os Ministérios da Saúde e da Justiça, este através da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP/MJ). A opção por avaliar um PPVIP no distrito do Jardim Ângela resultou de uma ampla discussão entre os parceiros e a instituição executora (NEV/USP), e justifica-se por ter sido o Jardim Ângela identificado como a área mais violenta do mundo em 1996.

O Programa em foco foi o RAC – Redescobrindo o Adolescente na Comunidade – programa voltado a adolescente e jovens entre 12 e 21 anos, implementado em 1999 pela Sociedade Santos Mártires. A escolha do RAC para o desenvolvimento desta avaliação foi feita após identificarmos, na primeira fase do projeto, os programas de prevenção da violência em andamento no DJA que se encaixavam nos seguintes critérios: a) Ter como público-alvo a população jovem; b) Ser, preferencialmente voltado à prevenção da violência armada; c) Ter, no mínimo, 4 anos de implementação; d) Envolver agências governamentais e não governamentais; e) Ter, preferencialmente ações com parceria das áreas de segurança e saúde; f) Ser reconhecido como um programa de apresenta bons resultados. A identificação e caracterização dos programas foi feira utilizando a metodologia e os instrumentos propostos no Handbook for the documentation of Interpersonnal Violence Prevention Programs, da OMS. Um total de 17 programas foi identificado e, entre eles, o que mais se aproxima dos critérios estabelecidos era o RAC. É importante ressaltar que entre os programas identificados que tinha como público-alvo a população de adolescentes e jovens, nenhum tinha como objetivo explícito a prevenção da violência armada e, da mesma forma, nenhum tinha como parceiros de suas ações as áreas de saúde e segurança.